Fundos: DSAIPA/DS/0111/2018 pela Fundação para a Ciência e Tecnologia
(2018 Call para projetos R&D em Ciência dos Dados e Inteligência Artificial na Administração Pública)

Âmbito: A mobilidade nas grandes capitais europeias, incluindo Lisboa, ainda não é sustentável. A Câmara Municipal de Lisboa (CML) tem estabelecido esforços para integrar diferentes fontes de dados urbanos disponíveis, incluindo tráfego rodoviário a partir de sensores fixos e móveis, tráfego na rede de transporte público (autocarros, metro, comboios, bicicletas, barcos e novos velocípedes) e contexto situacional. O contexto situacional inclui eventos de relevo (congressos, eventos desportivos ou concertos de larga escala), acidentes, obras em via pública, planeamento urbanístico da cidade, condições meteorológicas ou, entre outros, notificações dos cidadãos na app ‘na minha rua’. Apesar destes esforços, o potencial do conhecimento contido nestes dados é ainda desconhecido.

Desafios: O projecto iLU propõe endereçar dois grandes desafios: 1) a falta de uma análise integrativa capaz de combinar diferentes fontes de dados urbanos recolhidas a partir de sensores na cidade e de validações de títulos nas diferentes modalidades de transporte público; e 2) a ausência de contexto situacional na previsão e recomendação da circulação na cidade.

Contribuições científicas: 1) consolidar as diferentes fontes de dados de mobilidade disponíveis na Plataforma de Gestão Inteligente de Lisboa (PGIL) por forma a permitir uma análise inter-modal da mobilidade na cidade; 2) descobrir padrões de circulação de relevo a partir destas fontes heterogéneas de dados urbanos, particularmente correlações entre o tráfego urbano e o seu contexto situacional; 3) antecipar congestionamentos de tráfego ou acesso a transportes públicos; e 4) apoiar decisões de mobilidade, como o reforço de transportes públicos ou o condicionamento positivo do tráfego na cidade através de recomendações ao cidadão sensíveis ao contexto situacional.

Resultados: As contribuições do projeto iLU serão disponibilizadas à CML através de um sistema de análise de dados urbanos e suporte à decisão que poderá vir a operar a partir da Infraestrutura Nacional para a Computação Distribuída. O projecto iLU impulsionará uma gestão da mobilidade centrada nos dados (orientada ao que está a acontecer e a emergir na cidade), mais dinâmica, focada nas necessidades do cidadão, e capaz de permitir uma coordenação mais objectiva, transparente e eficaz entre as autoridades, municípios, e operadores de transporte público.